quinta-feira, 18 de junho de 2009

Genova

Um filme onde a cidade de Génova é vista através dos olhos de 3 pessoas diferentes duma mesma família. A perda da mãe e esposa leva ao isolamento de cada um dos membros da família onde o diálogo se resume a coisas mais triviais e mundanas sem nunca tocar no assunto que lhes modificou por completo a vida.
A mudança da cidade de Chicago para uma cidade confusa e antiga na bela Itália do velho continente europeu, Génova, faz com que o diálogo seja cada vez menor e que a percepção de que estão a tentar avançar com a vida, quando os três se mantém estagnados.

O sentimento de insegurança é uma constante, quer pelas ruas sinuosas e estreitas onde as outras pessoas observam os recém-chegados, onde os italianos são pachorrentos e vivem o que parecem ser vidas degradantes, quer pelas boleias em jipes manhosos e lambretas que a filha mais velha apanha com os novos 'amigos' italianos (Passei o filme todo à espera que a lambreta se espetasse num carro em contra mão).
Quando se conseguirão perdoar uns aos outros e quando é que a filha mais nova se conseguirá perdoar a si mesma por se sentir culpada pelo acidente de carro que vitimou a mãe? Quando é que a mais velha se aperceberá que se encontra numa espiral descendente guiada pela apatia que sente e pelo grupo de italianos que conhece? Quando é que o pai consegue ter uma conversa franca com ambas? São as linhas condutoras que unem cena a cena do filme desde o momento que aterram na Superba cidade italiana.


Sem comentários: