sexta-feira, 29 de maio de 2009

folia

We have to became the leaf and start producing our own energy!
Jeff Brugmann

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O Mar e o Sol do Outro Lado

A cornucópia de dias que o Destino me deu, resolveu encher a minha vida de dias preenchidos.
Comecei a minha nova meia-aventura no Outro Lado, que é como quem diz 'tenho que passar a ponte todos os dias o que me vale é que vou contra o trânsito'.
Está sol e calor e só tenho pena de não conseguir ver o azul intenso do mar que banha estas costas.

E redescobri o que significa trânsito, depois das estradas sinuosas mas calmas do Alentejo voltei às estradas (por vezes) largas e cheias da capital. Os sinais, os carros, os senhores com pouca calma que apitam mal o sinal fica verde, os condutores que não sabem para que serve a faixa de dentro numa rotunda, os outros que se esquecem dos piscas ou ainda aqueles que vão a 80km/h na faixa mais à esquerda na via rápida.
A diversidade realmente é uma coisa muito bonita!
Trânsito, um mal de que sofro, felizmente, só de tempos a tempos.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Bochechas

Hoje descobri que as bolinhas que seguram as bochechas também descaem.
A força mais poderosa não é a do Amor mas sim a da Gravidade!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Dia da Espiga


Segundo a tradição eu devia ter-me levantado bem cedo e ter percorrido os caminhos de terra batida num passeio matinal, a tradição já não é o que era e eu fiquei na cama até às 9h30 e depois disso sentei-me ao sol a degustar o parco pequeno-almoço.

Segundo a tradição devia de aproveitar a hora em que tudo pára "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam" e colher as ervas medicinais e as plantas para fazer o meu ramo de espiga.

Com espiga de trigo para ter pão para o ano inteiro; malmequeres para chamar o ouro e a prata; papoilas para celebrar e viver a vida e o amor; ramos de oliveira para ter muita paz e já agora azeite também!; ramos de videira para ter sempre vinho sobre a mesa e alegria nos dias; e alecrim para ter saúde e força para enfrentar as loucuras deste mundo!

A tradição já não é o que era e o calor era tanto que resolvi dar no almoço em vez de dar na espiga... Quem sabe à tardinha quando o calor alentejano amainar.

(Imagem retirada da internet)

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Desabafo

Os camiões por vezes sentem-se solitários, na sua labuta diária de km de estrada, é por isso que se colam uns aos outros numa estrada nacional qualquer, lixando o condutor do ligeiro que os segue e que gostava de ser mais rápido que os caracóis que estão na beira da estrada.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Fronteira...

... uma dessas vilas pequenas mas acolhedoras que se encontram pelo norte alentejano.

A Torre do Relógio.
A torre do relógio

A entrada da Igreja Matriz
Os sinos da Igreja Matriz
O coreto, solitário e vazio, no silêncio da banda ausente.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Today is one of those days...

... equal to everyone else's.

"Read everyday something no one else is reading. Think everyday something no one else is thinking. It is bad for the mind to be always part of unanimity"

by Christopher Marley

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Hoje...

... o Alentejo cheira a quente, a giestas, a pinheiros e a eucaliptos.

... esborracharam-se contra o meu vidro da frente uns 30 mosquititos suicídas e um insecto voador de maiores proporções que deixou uma nhanha amarelada no vidro.

... o sol está quente, a relva está verde, as papoilas estão vermelhas e contentes.

... a banda sonora é brutal e natural.

O meu primeiro engarrafamento... no Alentejo

Já aqui descrevi as vantagens de conduzir pelas estradas estreitas e sinuosas que ligam Santa Terrinha a Santa Terra num sistema arterial de estradas.
Só nunca me passou pela cabeça atrasar-me um dia por causa dum engarrafamento provocado por...
... um rebanho de ovelhas!
O rebanho, que não era pequeno, trotava cheio de contentamento ocupando a estrada toda, e volta e meia parava para dar umas trincas nas ervas daninhas e nas papoilas que alegremente cresciam na beira da estrada. Os pastores lá tentavam indicar o caminho ao rebanho rebelde (belo título para uma novela Rebanho Rebelde, às tardes numa tv perto de si!), um na estrada e outro dentro duma carrinha de caixa aberta.

Quando parei o carro e resolvi esperar pensei com os meus botões e com os minutos que passavam 'devia ter desconfiado, o rastro de caganitas ao longo da estrada era sinal mais que evidente!'.
Hoje saio de casa a contar que, mais dia menos dia, encontrarei novo rebanho de ovelhas que não tem hora marcada mas sim um apetite voraz...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Fui ver 'Sinais do Futuro'

'Knowing' no original, com o Nicolas Cage e a Rose Byrne.

Crítica: blockbuster e previsível.

Conclusão: Deus é extraterreste (perdoem-me todos os educados na cristandade pela heresia)

Valeu a pena: as pipocas e o desconto do jornal 'o metro' e ver o melhor da raça humana a ascender em momentos de crise.

sábado, 2 de maio de 2009

Butterflies' path

Butterflies...
"Following an instinct determined by its kind. Searching for warmth and sustenance, on a path left by others long gone.

That's its fate.

Flying blindly through this huge forest, the chances it will ever find another of its kind are almost zero..."

稲荷家房之介


Over and over kept thinking about it, it stucks to our fate and it will call to us and draw us together, someday.