sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Mesa de Cabeceira (II)


«A guerra dos sexos é tão antiga como a própria humanidade. Pelo menos, foi isso que Mark Twain descobriu ao "traduzir do manuscrito original" os diários de Adão e Eva. O pai de Tom Sawyer e de Huckleberry Finn subverteu o primeiro capítulo da história bíblica e transformou-o num exercício de humor delirante.
Poucos o sabem, mas Mark Twain não foi apenas o autor das aventuras de dois rapazes descalços nas margens do mississipi. O jornalista que em criança queria ser marinheiro num navio a vapor foi um fos maiores humoristas que a América conheceu.
Só quem não leu é que pode torcer o nariz a estes "Excertos dos diários de Adão e Eva". Esta não é uma obra religiosa. Aqui não há lugar para polémicas; só para gargalhadas bem sonoras.
(...)
Com o passar dos tempos, ficamos a conhecer as inquietações e formas de pensar de cada um. Adão e Eva tentam entender-se apesar e por causa das suas diferenças. Este casal do Jardim do Éden não é muito diferente de qualquer par de recém-casados; viva ele em Buenos Aires, Nova Iorque ou Barcarena.
Mark Twain transforma uma história de costelas, serpentes e maçãs numa dissertação sobre as relações humanas. O "nonsense" domina, mas não é dominador. Ao fim de 40 anos, dá algum espaço à ternura: está Adão junto à campa de Eva e confessa "onder quer que ela estivesse era o Éden"»
Joana Stichini in Guia da Cidade

Sem comentários: