quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Promenade (I)

Aveiro...
... moliceiros, azulejos, casas em arte-nova, cúpulas trabalhadas, ovos moles.
O Vouga, a ria, as luzes ao anoitecer, o sol da manhã, o som das gaivotas.
A feira de antiguidades, os vinis, os postais, as quinquelharias em loiça, os móveis.
As gargalhadas e os amigos.
Memórias de fim-de-semana...











terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Proibido

“Ficas proibido chorar sem aprender,
Levantares-te um dia sem saber o que fazer,
Teres medo das tuas recordações.
Ficas proibido não sorrir ante os problemas,
Não lutares pelo que queres,
Abandonares tudo por medo,
Não transformares em realidade os teus sonhos
Ficas proibido não demonstrar o teu amor,
Fazeres com que alguém pague pelas tuas dúvidas e pelo teu mau humor
Ficas proibido deixar os teus amigos,
Não tentares compreender aquilo que viveram juntos,
Chamá-los somente quando precisas deles
Ficas proibido não seres tu perante todos,
Fingires para as pessoas que não te importas,
Esqueceres todos os que te querem
Ficas proibido não fazeres as coisas para ti mesmo,
Não fazeres o teu destino,
Teres medo da vida e dos teus compromissos,
Não viveres cada dia como se fosse o último."
Pablo Neruda

domingo, 27 de janeiro de 2008

Paris et la vie en rose



"Des yeux qui font baiser les miens, un rire qui se perd sur sa bouche..."



"Il me dit des mots d'amour, des mots de tous les jours, et ça me fait quelque chose..."


"Il est entré dans mon coeur, une part de bonheur, dont je connais la cause..."










"Et des que je l'apercois, alors je sens en moi, mon coeur qui bat..."




"Quand il me prend dans ses bras, il me parle tout bas, je vois la vie en rose..."

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

New place

Diz-se por aí que voltei... e voltei.

Diz-se por aí que me perdi no mundo... e perdi.

Diz-se por aí que é do meu querer ir para onde o vento me quiser levar.

E mudei-me para aqui...